Apesar das operadoras de telefonia ainda serem as campeãs de reclamação por parte dos consumidores, são os golpes que preocupam o Procon de Schroeder. Neste ano, foram muitas as queixas em razão do chamado golpe da lista telefônica, que atinge os empresários.

De acordo com a diretora do Procon, Nadiete Albino Marcilio Feuser, os golpistas entram em contato com as empresas informando que trabalham com listas telefônicas e até mesmo citam alguma operadora. Solicitam os dados cadastrais da empresa apenas para atualização do sistema.
 
Aí eles mandam um documento por WhatsApp, ou por e-mail, ou via fax, referente a um contrato de prestação de serviço para divulgar a marca da empresa em determinado site (mas de forma que o empresário não perceba que está contratando um serviço).




Os empresários acabam não lendo o documento, preenchem os dados da empresa e assinam a contratação do serviço de divulgação”, explica.
 
Eles só começam a se dar conta do que fizeram depois que essa empresa golpista entra em contato para fazer a cobrança dos boletos. Aí que ele percebe o que assinou e o que contratou. Em alguns casos, a gente consegue reverter porque essa prática é bem corriqueira, em outros, tem que procurar a via judicial”, completa.
 
Outro golpe aplicado por estelionatários é o do empréstimo fácil. Nadiete destaca que há muitos anúncios no Facebook ou que chegam por e-mail, enfatizando que não é necessária a consulta ao SPC e Serasa. Ela diz que o consumidor que precisa de dinheiro acaba clicando e passa a negociar com os golpistas.
 
Como o consumidor não tem avalista, está com o nome sujo, aí eles alegam que arrumam um avalista, mas para isso o consumidor tem que depositar X valor na conta do banco. Só que essa conta, na verdade, não é de nenhum banco, é de uma pessoa física. E o consumidor muitas vezes não percebe isso”, comenta.
 
A diretora do Procon diz que os estelionatários costumam pedir mais um valor para que o contratante possa sacar o empréstimo e assim o consumidor vai sendo extorquido.

Pelo Procon a gente não tem o que fazer, porque são contas de pessoas físicas, não tem contrato. Às vezes eles fazem contratos fake [falsos], usando nomes de instituições bancárias que existem. Mas, instituição bancária idônea não pede nenhum valor para liberar empréstimo. Isso não existe”, alerta.

A orientação, nestes casos, é registrar boletim de ocorrência para que a Polícia Civil possa investigar, e informar o banco para o qual ele fez os depósitos, que caiu na conta de um golpista. Assim, o banco também pode fazer uma investigação interna e bloquear essas contas.
 
Campeãs de reclamações

As empresas de telefonia ocupam o topo do ranking de reclamações em Schroeder. Alguns casos, conforme Nadiete, englobam o não cumprimento da oferta. Acontece quando o consumidor contrata um plano e não é atendido conforme o contrato, seja no valor ou na capacidade da internet.
 
Outras situações se referem à manutenção da linha fixa, pois o contratante não consegue utilizá-la, sem poder receber ou fazer chamadas. Cobranças indevidas, por serviços não contratados, também geram denúncias por parte do consumidor.

Logo abaixo das operadoras de telefonia e internet, estão os bancos. A principal queixa é quanto a empréstimos consignados por parte dos aposentados. Os valores vêm descontados na aposentadoria.
 
O consumidor só se dá conta desses empréstimos consignados quando ele não recebe o valor [integral] da aposentadoria. Então, a gente manda notificação aos bancos para verificar o que está acontecendo e orienta o consumidor a fazer cadastro no site Meu INSS. Muitas vezes, a gente até ajuda o consumidor a se cadastrar e fazer o bloqueio de empréstimo consignado”, destaca a diretora.

O Procon de Schroeder está localizado na Rua Blumenau, 320. O telefone para contato é o (47) 3374-6540.


Sua empresa em destaque, Informações só clicar aqui


Notícias em um Click: Só Clicar aqui


Nosso Instragam: Clique Aqui